Não é recente minha aversão a um certo conceito de "cidadania" que anda por aí, convertido em refrão político, travestido de democrático, como que exigindo respeito a quem o menciona, mas totalitário em muitas de suas conseqüências.

 Cidadão e pessoa humana não são sinônimos. Entre as muitas diferenças, sublinho o fato de que toda pessoa humana é detentora de direitos naturais, que preexistem ao direito positivo (às leis), enquanto o cidadão é possuidor, apenas, dos direitos que os códigos lhe conferem. O estrangeiro não é cidadão; o feto não é cidadão. Se a lei diz que alguém pode ser eliminado, ele o será, legalmente; se a lei diz que o feto pode ser abortado, ele o será, legalmente.

 Contudo, se falamos de pessoa humana, estamos diante de um conceito muito mais amplo. Pessoa humana é um ser cuja iminente dignidade antecede e transcende ao Estado; jamais poderia então o Estado, que existe para o servir, eliminá-lo na mais inocente e indefesa de suas etapas de vida. E a vida do zigoto, do feto é vida humana.
 

Leia mais


Percival Puggina


 Não subscrevo manifestações de hostilidade ao Brasil, tão comuns nos Sete de Setembro. O que me move a este texto é algo bem diferente. É um apelo aos bons brasileiros, aos que amam a pátria que aniversaria e que se sentem responsáveis por ela. Escrevo para muitos, portanto. Aproveitemos este Sete de Setembro para refletir sobre o que os maus conterrâneos estão fazendo com nossa gente. Eles não podem continuar transformando o Brasil numa casa de tolerância, desavergonhada como nunca se viu igual. Uma casa de tolerância que aplaude o gangsterismo político, o crime organizado nos altos andares da República, o banditismo deslavado e sorridente de uma elite rastaquera e debochada, que conta dinheiro e votos como se fossem a mesma coisa.

 Já não lhes basta a própria corrupção. Dedicam-se, há bom tempo, à tarefa de corromper, aos milhões, o próprio povo, porque são milhões e milhões que já não se repugnam, que já não reclamam, que já sequer silenciam. Mas aplaudem e se declaram devotos.

 Pior, não é apenas no plano da política que a nação vai sendo abusada e corrompida. Também nos costumes, também no desprezo à ética, à verdade e aos valores perenes. Também nas novelas, na cultura, nas artes, nas baladas. Nas aspirações individuais e nas perspectivas de vida. No pior dos sentidos, aburguesaram uma nação pobre. Incitaram o conflito racial numa nação mestiça desde os primórdios. À medida que Deus vai sendo expulso, à base de interditos judiciais e galhofas sociais, instala-se, no Brasil, a soberania do outro.

 Recebemos de Deus e da História um país esplêndido, que se converte em covil de malfeitores. Estamos a 28 dias de uma eleição geral. Não nos conformemos apenas com o "dever cívico" do 5 de outubro. Nosso dever cívico não tem data nem prazo de validade. Empenhemo-nos na eleição dos melhores! Sob o chicote do voto, expulsemos do poder os abusadores da Pátria Mãe.
 

Leia mais

 

Pouco se fala e nada se faz. O mundo dá de ombros e os poderosos da terra silenciam ante a perseguição religiosa a que, neste momento, e de modo crescente, estão submetidos os cristãos em mais 50 países. A passividade do Ocidente estimula o genocídio. Os jihadistas que estão crucificando cristãos na Síria e no Iraque devem zombar como Stalin: "Quantas divisões militares tem o Papa?".

Nos próximos dias, estarei postando neste espaço informações sequenciais extraídas do site "Portas Abertas" (www.portasabertas.org.br) com dados sobre o que está acontecendo e destacando por ordem decrescente, os casos mais graves.

***

7º - MALDIVA
A prática aberta de qualquer religião que não seja o islã é proibida na Arábia Saudita e a conversão para outra fé é punida com a morte. A maioria dos cristãos é expatriada da Ásia ou da África. Durante 2013, várias comunidades imigrantes cristãs foram invadidas pela polícia e dezenas de cristãos foram detidos e deportados. Cristãos de origem muçulmana correm o risco de serem mortos por honra caso sua fé seja descoberta. Contudo, um número crescente de muçulmanos tem vindo a Cristo e compartilhado sua fé na internet e na TV satélite.

8º - PAQUISTÃO
Os cristãos do Paquistão vivem no meio do fogo cruzado entre organizações militantes islâmicas, que alvejam cristãos rotineiramente, e uma cultura islamizada que mantém os cristãos isolados do restante da população. As notórias leis de blasfêmia continuam a ter consequências devastadoras para as minorias religiosas, incluindo os cristãos. Mulheres de grupos minoritários são particularmente vulneráveis, e ataques sexuais contra meninas cristãs continuam a ocorrer. Em setembro de 2013, um duplo ataque à bomba em uma igreja em Peshawar deixou 89 mortos.

9º - IRÃ
Desde o alerta de Ali Khamenei, em 2010, da influência crescente e do número das igrejas domésticas no Irã, o tratamento aos cristãos piorou de maneira rápida e significativa. Por meio de serviços de monitoramento, o regime tenta destruir aqueles que evangelizam, prendendo convertidos, banindo cultos na língua local, farsi, e fechando algumas igrejas. Os ataques contra as comunidades cristãs têm aumentado e a proibição às atividades das igrejas domésticas é aplicada com maior rigor. Contudo, o tratamento severo do regime aos cristãos apenas alimenta ainda mais as chamas do crescimento da Igreja.

 

Leia mais

Poucas coisas tão postiças quanto a sabedoria dos intelectos vaidosos. E poucos tão infelizes quanto os que pretendem beber a felicidade no próprio copo, de canudinho, como refresco. Comecemos pelos primeiros, pelos enfatuados do próprio saber. Para eles, todo espelho é mágico e lhes atira beijos. Lambem seus títulos. Devoram as próprias palavras após pronunciá-las para que nada se perca de seu sabor. E vão engordando de lipídios um orgulho autógeno, encorpado pelas lisonjas alheias e pelas que generosamente dedicam a si mesmos.

Se há um lugar onde, por dever de ofício, se reúnem expoentes de tal conduta, esse lugar é o STF. Imagino que por vezes seus membros se saúdem assim: "E sua vaidade como vai, excelência?". E o outro retruca, cortesmente: "Bem, bem, recuperando-se do último voto vencido, mas as perspectivas são boas, obrigado ministro".     

Leia mais

 

Fiz uma seleção dos "melhores piores" momentos da presidente Dilma. E saiba: só o presidencialismo de corrupção adotado pela nossa Constituição Federal, associado ao messianismo lulista, poderia proporcionar a ela a oportunidade de exercer o poder maior da República.

http://www.youtube.com/watch?v=hr348C-o-V8

http://www.youtube.com/watch?v=2LmtxGjQ5GA

http://www.youtube.com/watch?v=pwGkPE5nF2M

http://www.youtube.com/watch?v=rZmmc8XDXRo

http://www.youtube.com/watch?v=4L9vec4lFIg

http://www.youtube.com/watch?v=xgY6WOd06TY

http://www.youtube.com/watch?v=F9UB2eCTR7w

http://www.youtube.com/watch?v=1BwyWIrILXk

http://www.youtube.com/watch?v=GI0geSroN5g

http://www.youtube.com/watch?v=KLL901rMc0M

http://www.youtube.com/watch?v=nLIBTkgnpuk

http://www.youtube.com/watch?v=v4vlUFj7Ct0

http://www.youtube.com/watch?v=KPB_X-4MJDQ

http://www.youtube.com/watch?v=QdseL-OdN0A

http://www.youtube.com/watch?v=pW640T4MC84

http://www.youtube.com/watch?v=xKu4O1_2qX4

http://www.youtube.com/watch?v=wWmt0KAaZbI

http://www.youtube.com/watch?v=M4GAhPfUoF4

http://www.youtube.com/watch?v=siDhYP3zfqs
http://www.youtube.com/watch?v=gwzl2ArmUcg&feature=youtu.be
http://www.youtube.com/watch?v=htWI_fx2Ppk
http://www.youtube.com/watch?v=j_HWHFrrkxg
http://www.youtube.com/watch?v=8DRnOK02jhw

http://www.youtube.com/watch?v=goup2O2xM40

http://www.youtube.com/watch?v=H00rAwdljGs#aid=P-hcyIm-nqM

https://www.youtube.com/watch?v=QeSvE8bvQp0
https://www.youtube.com/watch?v=okdPfwbNhcM
https://www.youtube.com/watch?v=N0KkpaY7wZI
https://www.youtube.com/watch?v=DsmU8lD-vgg
 

Leia mais

O líder do Congresso Internacional Judeu, Ronald S. Lauder, criticou a apatia mundial ante a perseguição dos cristãos no Oriente Médio e em outras partes do planeta, indicando que mais países deveriam atuar a respeito. Em um editorial publicado no jornal norte-americano The New York Times, Ronald S. Lauder assinalou que “a indiferença geral ao ISIS (Estado Islâmico do Iraque e Síria), com suas execuções em massa de cristãos e sua preocupação mortal com Israel, não está somente mal, é obscena”.

“O povo judeu entende muito bem o que pode acontecer quando o mundo está calado”, disse. “Esta campanha de morte deve ser detida”.Lauder criticou que enquanto a comunidade internacional correu para defender outras minorias da perseguição em outros conflitos, e protestou pelos ataques de Israel contra Hamas, quando a organização é conhecida por estar usando civis como escudos humanos, “o massacre bárbaro de milhares de cristãos é tomado com relativa indiferença”.

Assinalando uma série de ofensas contra “comunidades cristãs que viveram em paz por séculos” no Oriente Médio e partes da África, lamentou a falta de ação. Lauder também assinalou que recentemente, grupos militantes na Nigéria “sequestraram e assassinaram centenas de cristãos”, e que meio milhão de “cristãos árabes foram expulsos da Síria durante os mais de três anos de guerra civil”, e enfrentaram perseguição e assassinato no Líbano, Sudão e em outras partes. “Os historiadores logo olharão para trás neste período e se perguntarão se as pessoas tinham perdido o seu rumo”, alertou.

O líder judeu também assinalou que a organização internacional se manteve em sua maior parte quieta sobre “a onda de terror tipo Nazista que está rondando pelo Iraque”. Adicionalmente, disse, as celebridades e figuras públicas não falaram da perseguição, e se perguntou “por que a matança dos cristãos não parece ativar as suas antenas sociais?”.

Em sua carta, Lauder elogiou o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, por “ordenar ataques aéreos para salvar dezenas de milhares de yazidis”, mas lamentou que não foram suficiente para fazer frente aos recursos econômicos e força militar do Estado Islâmico. O líder judeu disse que o Estado Islâmico é “provavelmente o grupo terrorista mais rico no mundo”, e assinalou que “onde realmente se sobressai é na sua carniçaria”, onde “apontou sem piedade os xiitas, curdos e cristãos”.

“Eles realmente decapitaram crianças e puseram as suas cabeças sobre estacas”, disse, citando um relatório da CNN sobre a violência em Mosul (Iraque). “Mais crianças estão sendo decapitadas, mães estão sendo estupradas e assassinadas e os pais estão sendo pendurados”, lamentou.

Lauder reiterou uma promessa prévia que fez em junho, de que ele “não ficaria calado diante da crescente ameaça do anti-semitismo na Europa e no Oriente Médio, não permanecerei indiferente ao sofrimento cristão”. As pessoas boas de todos os credos, mas particularmente cristãos e judeus, continuou, “devem unir-se e deter esta repugnante onda de violência”.

Lauder destacou que as duas religiões compartilham “muito mais que a maioria das religiões”, incluindo uma Bíblia e um “núcleo moral e ético”.

“Agora, tristemente, compartilhamos uma forma de sofrimento”, acrescentou. “Os cristãos estão morrendo por causa das suas crenças, porque estão indefesos e porque o mundo é indiferente ao seu sofrimento”. Lauder pressionou as pessoas de todo o mundo a agir. “Não é como se fôssemos impotentes”, disse, indicando que estava escrevendo “como um cidadão do poder militar mais forte sobre a terra”, assim como “um líder judeu que se preocupa com meus irmãos e irmãs cristãs”.
NOVA IORQUE, 27 Ago. 14 / 08:00 am (ACI/EWTN Noticias).
 

Leia mais