Consumidor

09/03/2008
Toca o telefone... - Al?- Al?oderia falar com o respons?l pela linha? - Pois n? pode ser comigo mesmo. - Quem fala, por favor? - Edson. - Sr. Edson, aqui ?a TELEF?ICA, estamos ligando para oferecer a promo? TELEF?ICA linha adicional, onde o Sr. tem direito... - Desculpe - interromper, mas quem est?alando? - Aqui ?osicleide Judite, da TELEF?ICA, e estamos ligando... - Rosicleide, me desculpe, mas para nossa seguran? gostaria de conferir alguns dados antes de continuar a conversa, pode ser? - ... Bem, pode. - De que telefone voc?ala? Meu bina n?identificou. - 103 - Voc?rabalha em que ?a, na TELEF?ICA? - Telemarketing Prtivo. - Voc?em n?o de matr?la na TELEF?ICA? - Senhor, desculpe, mas n?creio que essa informa? seja necess?a. - Ent?terei que desligar, pois n?posso ter seguran?que falo com uma funcion?a da TELEF?ICA. - Mas posso garantir... - Al?do mais, sempre sou obrigado a fornecer meus dados a uma legi?de atendentes sempre que tento falar com a TELEF?ICA. - Ok.... Minha matr?la ?4591212 - S? momento enquanto verifico. (Dois minutos) - S?is um momento. (Cinco minutos) - Senhor? - S?is um momento, por favor, nossos sistemas est?lentos hoje. - Mas senhor... - Pronto, Rosicleide, obrigado por haver aguardado. Qual o assunto? - Aqui ?a TELEF?ICA, estamos ligando para oferecer a promo? linha adicional, onde o Sr. tem direito a uma linha adicional. O senhor est?nteressado, Sr. Edson? - Rosicleide, vou ter que transferir voc?ara a minha esposa, por que ?la que decide sobre altera? e aquisi? de planos de telefones. Por favor, n?desligue, pois essa liga? ?uito importante para mim. Coloco o telefone em frente ao aparelho de som, deixo a m?a Festa no Ap?o Latino tocando no Repeat (eu sabia que um dia essa droga iria servir para alguma coisa!), depois de tocar a porra toda da musica, minha mulher atende: - Obrigado por ter aguardado....pode me dizer seu telefone pois meu bina n?identificou.? - 103 - Com quem estou falando, por favor? - Rosicleide. - Rosicleide de qu? - Rosicleide Judite (j?emonstrando certa irrita? na voz) - Qual sua identifica? na empresa..- 34591212 (mais irritada ainda!) - Obrigada pelas suas informa?s, em que posso ajud?a? - Aqui ?a TELEF?ICA, estamos ligando para oferecer a promo? linha adicional, onde a Sra. tem direito a uma linha adicional. A senhora est?nteressada? - Vou abrir um chamado e em alguns dias entraremos em contato para dar um parecer, pode anotar o protocolo por favor.........al?l?- TUTUTUTUTU... - Desligou.... nossa que mo?impaciente!!!

transcrito do jornal "A Ordem", do Porto

09/03/2008
Armando Alexandre dos Santos - (A Ordem, Porto, Portugal). Comprei ontem, na Livraria Francesa, de S?Paulo, um livro que comecei a ler ap? jantar. T?apaixonante era a leitura que s?nsegui dormir depois de conclu?a. Trata-se de Le communisme est-il soluble dans lalcool?, dos irm? Antoine e Philippe Meyer, o primeiro diretor comercial de uma editora, o segundo soci?o generalista amador. Pelo t?lo do livro e pela profiss?do segundo autor, j?er?notado os leitores que a obra tem cunho humor?ico. De fato, consiste ela numa cole? de anedotas, blagues, brincadeiras e outras manifesta?s de humor pol?co provenientes dos mais diversos pontos da ex-Uni?Sovi?ca e recolhidas por r?o ou por meio de dissidentes do regime comunista. A publica? j? antiga: foi feita em Paris, em 1978, pelas ?itions du Seuil. ?bem sabido que as ditaduras s? habitualmente, um caldo de cultura prop?o para o humor pol?co. A ditadura comunista, pela sua brutalidade e pela sua longa dura?, propiciou mat?a abundante para v?as gera?s de humoristas an?os. A excepcional criatividade dos povos eslavos tamb?contribuiu para que esse g?ro se expandisse com vigor especial. Seguem algumas amostras, traduzidas com liberdade (e at?por vezes, um pouco adaptadas) do livro acima. Sendo produ?s an?as, de dom?o p?co, que correm mundo em vers?muito variadas, nada obsta, ali? a que tamb?o leitor, ao pass?as adiante, as readapte com liberdade. O fundo, infelizmente, ser?empre verdadeiro... * * * -- Como morreu Mayakovski? -- Mayakovski se suicidou. O infeliz n?foi capaz de compreender as indispens?is transforma?s de 1927. -- E quais foram suas ?mas palavras antes de se matar? -- Foram: por favor, camaradas, n?atirem. * * * Na Sib?a, tr?prisioneiros, provenientes da mesma regi?do imp?o sovi?co se encontram. Um deles diz: -- Estou aqui h?0 anos porque escrevi um artigo criticando o camarada Wladimir Alexandrov. O segundo diz: -- Estou aqui h?8 anos porque fiz um discurso elogiando o camarada Wladimir Alexandrov. O terceiro se apresenta: -- Estou aqui h?9 anos porque sou Wladimir Alexandrov. * * * Um jornal de Zagreb lan? um concurso de reda?s livres sobre o General?imo Tito. Primeiro pr?o: 20 anos de pris?com trabalhos for?os. * * * Desde que apareceu o movimento dissidente na R?a, a pol?a precisou modificar seus m?dos de atua?. Os policiais passaram a andar sempre em grupos de tr? um que sabe ler, outro que sabe escrever, e o terceiro encarregado de vigiar os dois perigosos intelectuais. * * * Depois de sufocada a revolu? h?ra, de 1956, a municipalidade de Budapeste recebeu uma mensagem da municipalidade moscovita, sugerindo que, em homenagem ao seu grande libertador, Nikita Krushev, a Catedral de Santo Est?o passasse a se chamar Catedral de S?Nikita. Os h?ros responderam: Perfeitamente. Mandem logo as rel?ias. * * * Que conselho se deve dar a um intelectual sovi?co? Em primeiro lugar, n?pense. Se n?consegue ficar sem pensar, n?fale. Se n?consegue ficar sem falar, n?escreva. Se n?consegue ficar sem escrever, n?assine. Se n?consegue ficar sem assinar, ent?n?se queixe. * * * Qual a diferen?entre o cinema mudo e a democracia socialista: - No cinema mudo s? v? filme mas n?se ouve nada. Na democracia socialista, s? ouve falar em democracia, mas n?se v?ada. * * * Numa das rep?cas da Uni?Sovi?ca, ?ia de elei?s. O governo as organiza como de costume, de acordo com o cerimonial de praxe. Os eleitores se apresentam, recebem os envelopes fechados com o nome do candidato ?o, e v?um a um, disciplinadamente, depositar os envelopes na urna eleitoral. A certa altura aparece um eleitor especialmente alcoolizado e, sem atinar com o que fazia, tenta abrir o envelope. O secret?o local do Partido Comunista horrorizado se precipita: -- N?sabe, camarada, que o voto secreto ?m dos pilares da nossa democracia?! * * * -- O que aconteceria se a Uni?Sovi?ca estendesse o socialismo autogestion?o at? deserto do Saara? -- O Saara logo come?ia a importar areia. * * * Certo dia, em Moscou se espalha a not?a de que a cidade seria abastecida de carne. Imediatamente se formam filas enormes diante dos a?gues, e multid?de pessoas passam toda a noite ?spera de que, no dia seguinte, se abram os estabelecimentos. De manh?nha, apresenta-se um funcion?o do governo, e adverte: -- Os que forem judeus, podem ir embora, porque a carne n?ser?endida para os judeus. A ter?parte dos presentes sai das filas e volta para suas casas. Tr?horas depois, o estabelecimento ainda est?echado. Apresenta-se novamente o funcion?o do governo e anuncia: -- S? carne para os membros do Partido Comunista. Quem n?tiver suas carteiras do Partido pode ir embora. Nove d?mos dos presentes se retiram. Ficam s? membros do PC, ainda muito numerosos. Tr?horas depois, continuando fechado o a?gue, o funcion?o reaparece, e diz: -- Camaradas, agora que estamos s?s do Partido, devo dizer-lhes com franqueza que n?temos carne. Ouve-se, ent? no fim da fila, uma voz que protesta: -- Esses judeus s?sempre favorecidos! * * * Durante o governo Stalin, foi decidido que seria comemorado solenemente o centen?o do escritor Puchkine. O Presidium Supremo decide abrir um grande concurso para erigir uma est?a a esse her?a pr?ni?Sovi?ca. De todos os pontos da URSS chegam projetos variados: Puchkine lendo; Puchkine escrevendo; Puchkine arengando as multid? Puchkine sendo homenageado pelo povo russo, etc. etc. Venceu o melhor projeto: Stalin lendo Puchkine. * * * Um estrangeiro que visitava a Iugosl?a deixou escapar, por distra?, durante a conversa, um gra? a Deus. Foi imediatamente corrigido pelo funcion?o p?co comunista: -- N?se deve dizer gra? a Deus. Deve-se dizer gra? ao camarada Tito. -- E como se dir?uando o camarada Tito morrer? -- A?im, se poder?izer gra? a Deus. * * * Um grupo de turistas visita em Moscou a Casa dos Inventores Sovi?cos. L?mostram-lhes as fotografias dos inventores do autom?, do avi? do refrigerador, da luz el?ica, dos navios a vapor, dos ?os, do cinema, da televis? da bomba at?a -- todos sovi?cos. Em posi? de destaque, figura o retrato de Breznev, inventor da Casa dos Inventores Sovi?cos. (transcrito do jornal A Ordem, do Porto)

Auto Didata

08/03/2008
Uma universit?a cursava o sexto semestre da Faculdade. Como ?omum no meio universit?o, pensava que era de esquerda e estava a favor da distribui? da riqueza. Tinha vergonha de que o seu pai fosse de direita e, portanto, contr?o aos programas socialistas e seus projetos de lei que davam benef?os aos que n?mereciam e impostos mais altos para os que tinham maiores ingressos de dinheiro. A maioria dos seus professores tinha afirmado que a filosofia dele era equivocada. Por tudo isso, um dia, decidiu enfrentar o pai. Falou com ele sobre o materialismo hist?o e a dial?ca de Marx, procurando mostrar ele estava errado ao defender um sistema t?injusto como o da direita. No meio da conversa seu pai perguntou: ─ Como v?as aulas? ─ V?bem, respondeu ela. A m?a das minhas notas ?, mas me custa muito trabalho consegui-las. N?tenho vida social, durmo pouco, mas vou em frente. O pai prosseguiu: ─ E a tua amiga Sonia, como vai? Ela respondeu com muita seguran? ─ Muito mal. A sua m?a ?, principalmente, porque passa os dias em shoppings e em festas. Pouco estuda e algumas vezes nem sequer vai ?aulas. Com certeza, repetir? semestre. O pai, olhando nos olhos da filha, aconselhou: ─ Que tal se voc?ugerisse aos professores ou ao coordenador do curso para que sejam transferidos 3 pontos das suas notas para as da Sonia. Com isso, voc?duas teriam a mesma m?a. N?seria um bom resultado para voc?mas convenhamos, seria uma boa e democr?ca distribui? de notas para permitir a futura aprova? de voc?duas. Ela indignada retrucou: ─ Por qu? Eu trabalhei muito para conseguir as notas que tive, enquanto a Sonia buscava o lado f?l da vida. N?acho justo que todo o trabalho que tive seja, simplesmente, dado a outra pessoa. Seu pai, ent? a abra?, carinhosamente, dizendo: ─ BEM-VINDA DIREITA!!!!

Aluno Brilhante

08/03/2008
Um aluno escreve uma brilhante resposta para a seguinte quest?- Fa?uma an?se sobre a import?ia do Vale do Para?. Eis a resposta: O vale do para? ?e suma import?ia, pois n?podemos discriminar esses importantes cidad?. J?xiste o vale-refei?, vale-transporte e o vale-idoso, por que n?existir tamb?o vale do para?? Al?disso, sabemos que os para?s, de um modo geral, trabalham em obras ou portarias de pr?os e ganham pouco. Ent? o dinheiro que entra no meio do m? que ? vale, ?uito importante para ele equilibrar sua economia familiar.

Comissão de Investigação

07/03/2008
Um beb?ec?nascido foi encontrado na porta do Pal?o da Alvorada pela manh?quando os primeiros funcion?os chegavam. A crian?foi alimentada e o caso foi apresentado ao Presidente para que ele decidisse o que fazer. Lula ent?emitiu o seguinte comunicado interno: Da: Presid?ia Para: Seguran?do Pal?o Assunto: Crian?na porta Disseram que acharam um nen??a porta. Convoque uma comiss?pr?er se: a) Isso tem a ver com meu governo; b) Se algum funcion?o t?etido nisso; Assinado: O Presidente Depois de um m?de investiga? a Comiss?enviou a Lula a seguinte comunica? interna: Da: Comiss? Ao: Presidente Assunto: Crian??orta do Alvorada Ap?uatro semanas de laboriosa investiga?, conclu?s que o menor abandonado n?tem nehuma conex?com este governo. Esta conclus?se baseia no seguinte: a) Neste governo nada de criativo tem sido feito; b) Neste governo nunca duas pessoas colaboraram intimamente entre si; c) N?encontramos antecedentes conclusivos sobre esta administra? ter feito algo que tivesse p?e cabe? d) Neste governo jamais foi realizada alguma coisa que estivesse terminada em nove meses. Assinado: Comiss?de Investiga?

www.internetopolis.com.br

06/03/2008
(www.internetopolis.com.br)

Autor Desconhecido

05/03/2008
Documentos mantidos em sigilo pela Pol?a Federal do Brasil revelam que a Al Qaeda, de Osama bin Laden, ordenou a execu? de um atentado no Brasil. O alvo da a?:Cristo Redentor, um dos s?olos mais conhecidos do Rio de Janeiro. Bin Laden destacou dois mujahedins para o seq?ro de um avi?que seria lan?o contra a est?a-s?olo dos crist?infi?” Os registros da Pol?a Federal d?conta de que os dois terroristas chegaram ao Rio no domingo, 5 de setembro, ?21h47m, num v?a Air France. A miss?come? a sofrer embara? j?o desembarque, quando a bagagem dos mu?manos foi extraviada, seguindo num v?ara o Paraguai. Ap?uase seis horas de peregrina? por diversos guich?e dificuldades de comunica? em virtude do ingl?ruim, os dois saem do aeroporto, aconselhados por funcion?os da Infraero a voltar no dia seguinte, com int?rete. Os dois terroristas apanharam um t? pirata na sa? do aeroporto, sendo que o motorista percebeu que eram estrangeiros e rodou duas horas dando voltas pela cidade, at?bandon?os em lugar ermo da Baixada Fluminense. No trajeto, ele parou o carro e tr?c?ices os assaltaram e espancaram. Eles conseguiram ficar com alguns d?es que tinham escondido em cintos pr?os para transportar dinheiro e pegaram carona num caminh?que entregava g? Na segunda-feira, ?7h33m, gra? ao Treinamento de guerrilha no Afeganist? os dois terroristas conseguem chegar a um hotel de Copacabana. Alugaram ent?um carro e voltaram ao aeroporto, determinados a seq?rar logo um avi?e jog?o bem no meio do Cristo Redentor. Enfrentam um congestionamento monstro por causa de uma manifesta? de estudantes e professores em greve - e ficaram tr?horas parados na Avenida Brasil, altura de Manguinhos, onde seus rel?s s?roubados em um arrast? 3 12h30m, resolvem ir para o centro da cidade e procuram uma casa de c?io para trocar o pouco que sobrou de d?es. Recebem notas de R$ 100 falsas, dessas que s?feitas grosseiramente a partir de notas de R$ 1. Por fim, ?15h45m chegam ao aeroporto Tom Jobim para seq?rar um avi? Os pilotos da VARIG est?em greve por mais sal?o e menos trabalho. Os controladores de v?amb?pararam (querem equipara? com os pilotos). O ?o avi?na pista ?a Transbrasil, mas est?em combust?l. Aerovi?os e passageiros est?acantonados no sagu?do aeroporto, tocando pagode e gritando slogans contra o governo. O Batalh?de Choque da PM chega batendo em todos, inclusive nos terroristas. Os ?bes s?conduzidos ?elegacia da Pol?a Federal no Aeroporto, acusados de tr?co de drogas, que tiveram plantados papelotes de coca? nos seus bolsos. 3 18 horas, aproveitando o resgate de presos feito por um esquadr?de bandidos do Comando Vermelho, eles conseguem fugir da delegacia em meio ?onfus?e ao tiroteio. 3 19h05m, os mu?manos, ainda ensang?ados, dirigem ao balc?da VASP para comprar as passagens. O funcion?o que lhes vende os bilhetes omite a informa? de que os v?da companhia est?suspensos. Eles, ent? discutem entre si: come? a ficar em d?a se destruir o Rio de Janeiro, no fim das contas, ?m ato terrorista ou uma obra de caridade. As 23h30m, sujos, doloridos e mortos de fome, decidem comer alguma coisa no restaurante do Aeroporto. Pedem sandu?es de churrasquinho com queijo de coalho e limonadas. S? ter?feira, ?4h35m, conseguem se recuperar da intoxica? alimentar de propor?s eq?s, decorrente da ingest?de carne estragada usada nos sandu?es. Foram levados para o Hospital Miguel Couto, depois de terem esperado tr?horas para que o socorro chegasse e percorresse os hospitais da rede p?ca at?ncontrar vaga. No HMC foram atendidos por uma enfermeira feia, grossa, gorda e mal-humorada. Debilitados, s?r?alta hospitalar no domingo. Domingo, 18h20h: os homens de Bin Laden saem do hospital e chegam perto do est?o do Maracan?O Flamengo acabara de perder para o Paran?lube, por 6x0. A torcida rubro-negra confunde os terroristas com integrantes da galera advers?a (que havia ido de Kombi ao Rio) e lhes d?ma surra sem precedentes. O chefe da torcida ?m tal de P?e Mesa, que abusa sexualmente deles. 3 19h45m, finalmente, s?deixados em paz, com dores terr?is pelo corpo, em especial na ?a proctol?a. Ao verem uma barraca de venda de bebida nas proximidades, decidem se embriagar uma vez na vida (mesmo que seja pecado, Al?ue se dane!). Tomam cacha?adulterada com metanol e precisam voltar ao Miguel Couto. Os m?cos tamb?diagnosticam gonorr? no setor retofuricular inchado, (P?e Mesa n?perdoou!). Segunda-feira, 23h42m: os dois terroristas fogem do Rio escondidos na traseira de um caminh?de eletrodom?icos, assaltado horas depois na Serra das Araras. Desnorteados, famintos, sem poder andar e sentar, eles s?levados pela van de uma Ong ligada a direitos humanos para S?Paulo. Viajam deitados de lado. Na capital paulista, perambulam o dia todo ?cata de comida. Cansados, acabam adormecendo debaixo da marquise de uma loja no Centro. A Pol?a Federal ainda n?revelou o hospital onde os dois foram internados em estado grave, depois de espancados quase at? morte por um grupo de mata-mendigos. O porta-voz da PF declarou que, depois que os dois sa?m da UTI, ser?recolhidos no setor de imigrantes ilegais, em Bras?a, onde permanecer?at? Minist?o da Justi?autorizar a deporta? dos dois infelizes, se tiver verba, ?laro. Os dois consideraram desnecess?o terrorismo no Brasil e ir?sugerir um conv?o para realiza?, no Rio e S?Paulo, de treinamento especializado em caos social para o pessoal da Al Qaeda.

Autor Desconhecido

04/03/2008
Foi h?uito tempo (ele ainda era metal?co, ainda tinha 10 dedos), acompanhamos Lula a um oculista. O oculista sentou Lula naquela cadeira de alta tecnologia e acendeu o quadro de letras, l?onge. Apareceu, tamanho m?o, a letra S. Sem hesitar, Lula leu: Efe. O oculista corrigiu: ESSE. Lula, meio irritado, falou: Eu FEI! Eu n?DIFE IFO? (Millor Fernandes)

Autor Desconhecido

03/03/2008
1) Voc? doido? 2) Quanto ?ois mais dois? 3) Porque voc?irou o Z?irceu? 4) O Del? ?osso ou ?coisa nossa” ? 5) Voc?ebe? Bebe pouco? Bebe u?ue? Joga fora as caixas? 6) Porque voc??renuncia e vai morar em Havana? 7) Voc?refere o Maradona ou o Pel? 8) Voc?abia que o sabi?abia assobiar? 9) ?bom andar de avi? 10) Voc?em id? de quanto j?astou do dinheiro do brasileiro? 11) Voc?ediria dinheiro emprestado para o Marcos Val?o? Justifique sua resposta? 12) O que significa “PT” ? 13) Voc?abe a diferen?de economia e de um quilo de arroz? 14) Voc??be dar a culpa para o FHC? Voc?ofre de apag?mental? 15) Quem lhe traiu? 16) Voc? corrupto ou s?nda os outros? Se for, qual o grau? 17) Se voc?uer mesmo melhorar o pa?porque n?manda que apurem os fatos em vez de barrar a CPI? 18) Voc?odia cumprir pelo menos UMA de suas promessas: d?m tiro na cabe? 19) Voc? otimista? Sabe o que significa isto? 20) Voc?retende se reeleger com o voto do Chavez?