• Percival Puggina
  • 26/04/2021
  • Compartilhe:

PRONTO SOCORRO PARA CORRUPTOS AFLITOS

Percival Puggina

 

Cumprisse o parlamento seu dever, o Supremo Tribunal Federal teria outra fisionomia e não seria esse pronto socorro dos corruptos aflitos.

Li certa vez que, na democracia, para que a submissão às leis não seja conduta servil, mas forma de auto-obediência, elas são aprovadas por representantes políticos eleitos pelo povo. Gostei do conceito, tanto sob o ponto de vista ético quanto estético. Estético, sim, porque o bem é belo.

O Congresso Nacional, contudo, pela maioria de seus membros, por ação ou omissão, contraria o sentido do mandato parlamentar e se conduz ao arrepio da vontade de seus eleitores. Cumprisse o parlamento seu dever, o Supremo Tribunal Federal teria outra fisionomia e não seria esse pronto socorro dos corruptos aflitos. Não seria essa corte sem espelhos onde ministros beneficiam o padrinho Lula decretando a “suspeição” de Moro e não reconhecem o próprio impedimento nessa votação. Cumprisse o parlamento seu dever, a figura literária da soberania popular não se estaria transformando em pura, muda, indefesa e real vassalagem.

Nas últimas semanas, nossa dignidade perdeu ainda mais substância em decisões tomadas por ampla maioria do STF que não se contenta com ser o principal protagonista da cena política brasileira. Não! Nosso Supremo passa a atuar como Casa-Grande emitindo determinações à senzala nacional. Certo, Gilberto Freyre?

Lembrei-me de uma frase do presidente equatoriano proferida no transcurso do escândalo que ficou conhecido naquele país como Escândalo Subornos. Disse Lenín Moreno, cujo mandato se encerra no mês que vem: “Os chamados socialistas do século XXI saquearam a América Latina”. Referia-se ao período áureo do Foro de São Paulo e aos esquemas de corrupção instalados por empreiteiras, muitas das quais brasileiras, com particular privilégio à Odebrecht. Melhor do que qualquer latino-americano nós, brasileiros, conhecemos essa história e pagamos essa conta.

No ano passado, a justiça equatoriana condenou o ex-presidente Rafael Correa a 8 anos de prisão. Ele, porém, vive na Bélgica desde 2017 sem poder retornar ao país. Cerca de uma dezena de ex-servidores e dirigentes políticos, igualmente sentenciados, vivem no exterior. Enquanto isso, aqui no Brasil, os saqueadores nacionais levam a vida regalada pela qual Fausto vendeu a alma ao diabo e têm futuro político promissor.

Já somos roubados como pagadores de maus impostos. Já somos roubados como cidadãos de uma democracia inepta e mal costurada. Já fomos roubados pela corrupção que tão ativamente operou em nosso país. Já nos roubaram a esperança de dias melhores porque precisamos de dias piores para que os piores retornem ao poder. Roubaram-nos, agora, o mínimo senso de justiça e respeito ao que no Brasil opera com esse nobre rótulo.

* Percival Puggina (76), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A Tomada do Brasil. Integrante do grupo Pensar+.

 

 


Luiz R. Vilela -   27/04/2021 11:35:52

O poeta Olavo Bilac diz em seu poema A PÁTRIA: "Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste! Criança não verás nenhum pais como este". Realmente não há outro pais como este, fica então difícil se amar com fé e orgulho o torrão natal. Ao inocentar um indivíduo julgado por nove juízes e condenado por todos eles, acusando o primeiro destes juízes de "parcial", conseguiu a suprema corte enxovalhar a cidadania, fazendo com que o cidadão passe a desacreditar na justiça do pais. Alguma coisa esta errada, as instâncias inferiores ou a superior, que julgam de forma diferente, deixando todos incrédulos pelos acontecimentos. Não acredito que Montesquieu, quando imaginou o estado modernos com três poderes, pudesse pensar que os membros das cortes superiores do judiciário seriam "nomeados" pelos políticos dos outros dois poderes. Foi ai que a coisa não funcionou, pelo menos no Brasil.

Zergui Pfleger -   27/04/2021 08:04:35

A escória nos esclareceu, em tempos idos e reiterados recentemente, sobre qual é o seu único temor; leia-se "Estatuto do Desarmamento".

FERNANDO A O PRIETO -   27/04/2021 05:31:23

Parabéns, mais uma vez, pela lucidez e coragem! Não falta muito para que os que dizem essas verdades sejam presos (se é que já não chegamos lá...). É uma total falta de vergonha sequer sugerir que "Lula poderia pleitear indenização" e que "O que deixou a Petrobrás mal foi a Lava Jato (e não a roubalheira)! "Ai dos que chamam Bem ao mal, e Mal ao Bem, Luz às Trevas, e Treva à Luz...". Que Justiça tremenda os aguarda, se não se arrependerem sinceramente!

Humberto Bueno Bello -   26/04/2021 20:03:34

Infelizmente sua análise, como sempre, é lógica e lúcida, o que, inevitavelmente, não terá o menor sentido para a turma marxista.

sebastião -   26/04/2021 19:58:23

Penso, como a maioria do nosso povo, que o STF deveria se preocupar com as causas constitucionais, e não como se fora um tribunal penal. A existência de dois tribunais superiores, um pra julgar ações infraconstitucionais (STJ) e outro para causas constitucionais, perdeu sua razão de ser, uma vez que tudo deságua num recurso ao STF, principalmente se o réu tem dinheiro e bons advogados, sendo político de renome, então nem se fala. O STF já virou puxadinho de partidos políticos.

Ocir Gerson Gorenstein -   26/04/2021 16:47:56

Realmente parece que este país infelizmente não tem jeito...

José Roque Brugnaro -   26/04/2021 15:56:43

Também esse pronto socorro dos corruptos, está dando passe livre para o retorno ao poder, daqueles que assaltaram a pátria e pretendem repetir a dose.

mauro ernani aguirre -   26/04/2021 15:55:46

Prezado, excelente como sempre, urge a indignação da população, e, o exército nas ruas, pois, infelizmente com boas maneiras, vamos cada vez mais ao fundo do poço!

Osmar José de Barros Ribeiro -   26/04/2021 13:21:24

A mim impressiona, mais que a versatilidade do autor em discorrer sobre temas os mais diversos, sempre com brilho, seu acendrado patriotismo e a coragem, moral e física, que o leva a enfrentar, de peito aberto, os marginais que lotam, na União, nos Estados e nos Municípios, os três podres poderes.

Cleanto Weidlich -   26/04/2021 13:17:21

... e qual solução? Tenho que o povo vai ter que autorizar o art. 142, da Constituição, a mesma que está sendo ignorada pelos Ministros, ...

Solange -   26/04/2021 12:06:37

Show!! Isto mesmo!