• Percival Puggina
  • 11/06/2021
  • Compartilhe:

A REAÇÃO DO VESPEIRO

 

Percival Puggina

 

Meus leitores, habituados a dedicar alguns minutos de seu tempo a estas ponderações, sabem que ideologias totalitárias e revolucionárias não se coadunam com o cristianismo cultural e, menos ainda, com o cristianismo em sua essência religiosa. Alguns filósofos do século XIX viram a fé religiosa como um lenitivo às amarguras da existência, enquanto outros, revolucionários, levaram essa ideia para o lado oposto. Passaram a ensinar que “a religião é o ópio do povo” e que a revolução exigia a derrubada de todo poder, fosse religioso, coroado, eleito ou financeiro.

A partir daí, a filosofia da destruição, lançou as bases de uma empreitada que se foi consolidando e já na segunda metade do século XX, esse trabalho alcançava êxitos infiltrando-se nos setores sociais (órgãos de imprensa, sindicatos, Igrejas, educação, cultura). De modo simultâneo com o desastre político e econômico dos totalitarismos, multiplicavam os sucessos da estratégia montada para derrubar os pilares da civilização ocidental. Seu objetivo permanente: reduzir a importância da família e do cristianismo na transmissão dos valores através das gerações. Mas vão além: da culinária ao clima, nada lhe escapa. Seus agentes são missionários de uma religião laica.

O desmanche do império soviético acabou sendo bom para os comunistas. Sumiu das vistas o mau exemplo que proporcionava e o Ocidente sentiu-se livre de suas até então piores ameaças. Até no extremo oriente, os países que ocidentalizaram suas economias e instituições, prosperaram, enquanto a mentalidade revolucionária ressurgia como pandemia, numa segunda onda, atacando as bases da civilização ocidental.

Aqueles que pressentiram o problema, entre os quais peço licença para me incluir, reconheceram a importância da vitória do exótico Trump em 2016 e viram com tristeza a roda do poder virar para a esquerda nas eleições de 2020. É nos EUA que mais fortemente se trava o combate pela preservação dos valores do Ocidente.

Em 2018, o Brasil assistiu o produto de um despertar. Veio tarde, mas não tarde demais. Nos dois ou três anos anteriores, a sociedade brasileira acordou para o despenhadeiro moral, social, político e econômico a que estava sendo conduzida. Entendeu o jogo de cena em que foi levada a optar entre dois partidos de esquerda, PT e PSDB. Um quarto de século entregue ao absoluto desleixo político de conservadores e liberais!

Nunca, na história de nossa república, um governante suscitou tão orquestrado clamor interno e externo como Bolsonaro. Se é verdade que a alguns desses clamores ele mesmo dá causa, também é verdade que as reações não guardam proporção com os fatos. O que todos vemos tem como único motivo ser, o Brasil, o grande baluarte em que um candidato com pauta não “progressista”, não revolucionária, fez 57 milhões de votos e derrotou a esquerda. Isso não é aceitável.

Eis o motivo pelo qual nosso país e seu governo estão sob ataque desse barulhento vespeiro que se sente ameaçado em suas posições. Ouça-o e verá que nada lhe é mais execrável, ninguém merece mais ser ferroado, do que o inimigo que tinham por destruído. Seja quem for, fosse quem fosse, sentado naquela cadeira que a esquerda tinha por propriedade sua, estaria sujeito aos ataques do mesmo vespeiro.

Percival Puggina (76), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A Tomada do Brasil. Integrante do grupo Pensar+.

 


Carlos Edison Fernandes Domingues -   14/06/2021 18:59:55

PUGGINA . Não nos é permitido descansar. Carlos Edison Domingues

Felipe Giollo -   14/06/2021 15:31:45

Puggina,análise claríssima.Muito bom.

Mauricea Athayde -   13/06/2021 13:19:06

Nada a acrescentar Certissimo! Esta é a realidade de nossos tempos e o novo governante vem tentando modificar para melhorar a vida de seu povo. Tem tudo para dar certo e, se der mesmo, vou acreditar no MITO e de que foi ungido por CRISTO JESUS . Vamos dar tempo ao tempo. O tempo de DEUS é diferente fo nosso.

Vicente Abreu -   13/06/2021 09:24:07

Vicente Abreu: Os isentões, que não percebem o perigo que estamos correndo e ficam naquela de "Bozo", "Bolsonaro é grosso, Bolsonaro traiu", estão colaborando ativamente para a volta de criminosos contumazes ao poder. É inacreditável a falta de noção de quem não consegue enxergar o grande sucesso deste governo, apesar da pandemia, da oposição e da mídia desonesta, a serviço de oposição e de interesses escusos. Fecham-se na antipatia por uma pessoa e colocam a nação em risco de se tornar mais uma Argentina.

Enilda Dias Ferreira -   12/06/2021 23:54:00

AGORA,junho de 2021, já não podemos imaginar um terceiro elemento para governar o BRASIL nos próximos anos. Vivemos sobre as bases corrompidas e podres da estrutura comunista. Ou optamos já pela LIBERDADE ou seremos ESCRAVOS da Ditadura MAIS CRUEL e SUJA que o mundo verá. Pense no mundo globalizado e o Brasil Zona de Exclusão da América Latina e de COMIDA prá CHINA, Índia e demais. TEMOS AGORA o único grupo FORTE PELO BRASIL ACIMA de TUDO. É isso ou a morte do futuro. Para famílias,empresas,cientistas,estudiosos,pobres,educadores,desvalidos,idosos,trabalhadores, juventude,valores da vida,valores morais,religiosos.EF.

Geraldo de Andrade Junior -   12/06/2021 17:12:39

Nem um nem outro , Percival. Precisamos de gente que esteja realmente disposta a trabalhar pelo Brasil. De ilusionistas demagógicos de esquerda já estávamos cansados. Do estelionatario eleitoral inconsequente também! Traiu a Nação, se uniu a quem prometeu combater, por tbem pertencer ao establismente Por favor, ajude seu país na busca de melhores lideranças. Queremos a DIREITA CERTA Percival!

FERNANDO A O PRIETO -   12/06/2021 07:25:17

Mais um texto interessante e esclarecedor. Infelizmente esta situação é muito grave. Pelo menos, não colaboremos com quem nos quer destruir, evitando prestigiar certos programas de televisão (quase todos!), jornais,..Boicotemos, na medida do possível, quem nos tenta prejudicar.

Arcy José de Almeida Dias -   11/06/2021 14:34:16

Sempre um manancial de ricas informações e judiciosas análises . Obrigado! Espero poder continuar a alimentar assim meu acervo cultural.

Gióia Bispo -   11/06/2021 13:25:23

Excelente texto, sempre. Somente quero deixar aqui meu pensamento: na verdade os conservadores estavam acusados na solidão. Achávamos que éramos somente um, eu, e ninguém mais. Quando onprimeiro gritou e os demais ouviram, chegou-se a esse resultado: 57 milhões de votos. Não podemos relaxar.

suely m pfeifer -   11/06/2021 12:26:34

Perfeita sua analise ! o que me assusta é que o vespeiro é um caldeirão mundial, composto de uma mistura desde do individuo que quer só vantagem financeira como a indicação para um emprego cabide, ou grupos que almejam ganhos maiores, o manipulado cerebral, que sequer sabe o que defende, até poderosos governos e entidades com influencia mundial, loucos por poder puro, como grupos terroristas, fundamentalistas e magnatas internacionais. É um exercito que eu denomino esquerdalha globalista, com infiltrados em todos os cantos ... as vezes até me sinto paranoica ..

Cid Silveira -   11/06/2021 11:02:38

Fantástica sua análise!

Rejane M. Lehugeur -   11/06/2021 10:35:09

Sempre que me chegam suas cronicas, as leio. Não percamos a esperança da vitória!! #somostodosbolsonaro ????????????

Luis Ronaldo L.Dos Santos lo -   11/06/2021 10:27:40

Perfeito

Sylvania Kazmierski -   11/06/2021 10:21:10

Sensacional, prof. ????????????????????????????????