• Percival Puggina
  • 20/02/2021
  • Compartilhe:

364 DEPUTADOS ENTREGARAM OS DEDOS PARA PRESERVAR OS ANÉIS

Percival Puggina

Depois da sexta-feira negra, da Black Friday da Câmara dos Deputados, quando a dignidade do Poder Legislativo foi negociada no baratilho do oportunismo de uns e da covardia de outros, não me peçam devoção às nossas “instituições”. A irracionalidade de nosso modelo institucional faz do país um sanatório.

Elas impõem frustrações aos cidadãos, à normalidade da vida e à estabilidade política. Elas criam obstáculos à liberdade, à ordem, ao progresso, à justiça e à segurança. Querem mais?  Elas vivem no fausto, desprezam a razão e manipulam as leis. Não me peçam devoção. Não me peçam fé e esperança. Nem me peçam caridade ante os abusos e absurdos que cotidianamente exercitam.

Enquanto transcorria a sessão que entrará para as páginas sombrias da história de nossa mal nascida República, percebi quanto os oradores fugiam do tema principal, para fazer aquilo que chamam de “política”, de “enfrentamento”, quando não simplesmente de “luta”. O real assunto da sessão era a absoluta ilegalidade praticada pelo Supremo Tribunal Federal ao homologar a ato arbitrário com que o ministro Alexandre de Moraes realizou sua vendeta pessoal contra o deputado Daniel Silveira. Flagrante, se  houve, foi este: o desafio do STF à Câmara dos Deputados.

Os que, em plenário, invocavam o fantasma do quase sexagenário AI-5 para atacar seus opositores homologaram o AI-5 do STF. Como registrou de modo brilhante o deputado Marcel Van Hattem, a Câmara dos Deputados não herdou a dignidade dos seus pares de 1967 que recusaram o pedido de autorização para prisão do deputado Márcio Moreira Alves. Ali nascia o AI-5. E se poderia ainda acrescentar: o STF, na composição legada à pátria pelos governos petistas, fez o que nem os generais de então ousaram fazer. Prenderam na marra aquele cujo falar os incomodava.

Daniel Silveira é um desrespeitador, atrabiliário. Um subproduto das liberdades democráticas. Mas é um membro do Congresso e a Câmara dos Deputados foi desrespeitada com sua prisão. O STF, por seu turno, desrespeitou o parlamento e o devido processo. Vendeu por lebre uma ninhada de gatos jurídicos para criar um flagrante impossível. Ao aprovar por unanimidade a absurda decisão, tomada no contexto de um inquérito intimidador que é outra ninhada que mia, o Supremo trocou por corporativismo o direito de exigir mesuras.

Do outro lado da Praça dos Três Poderes, o presidente da República, assiste. Num cenário em que a loucura se impõe em nome da sanidade das instituições é acusado de ser o que outros efetivamente são e de fazer o que outros efetivamente fazem. É acusado de conspirar quando os demais conspiram. Imputam-lhe aspirar por um AI-5 que já está vigorando e veste toga.

***

O nível da sessão de ontem vinha ao rés do chão quando as mais veementes defesas da democracia saíam aos gritos da boca de parlamentares que se têm como compañeros de Maduro, dos Castro e de qualquer ditador comunista com prisões repletas de presos políticos.

Escrevo este artigo na manhã de sábado, dia 20 de fevereiro em estado de náusea cívica. Nunca pensei que os ministros do STF, que tantas vezes já foram longe demais, que convivem com colegas tão boquirrotos e valentões quanto o deputado preso, que a toda hora “constitucionalizam” o seu querer, fossem capazes de fazer contra um congressista, unanimemente, algo que nem os generais de 1967 fizeram. Nunca pensei que o Congresso fosse entregar os dedos para conservar os anéis. Nossos dedos foram junto. Que dia triste!

*    Publicado originalmente em Conservadores e Liberais, o site de Puggina.org

 

Percival Puggina (76), membro da Academia Rio-Grandense de Letras e Cidadão de Porto Alegre, é arquiteto, empresário, escritor e titular do site Conservadores e Liberais (Puggina.org); colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A Tomada do Brasil pelos maus brasileiros. Membro da ADCE. Integrante do grupo Pensar+.


TADEU REINALDO SCHERER -   24/02/2021 17:18:03

Parabéns, mais uma vez perfeito.

Carlos Edison Fernandes Domingues -   23/02/2021 11:48:04

PUGGINA. Os acontecimentos que tu registras, com tanta perfeição, aceleram os batimentos cardíacos que colocam em risco a saúde de um homem que é diabético e amanhã, dia 24 de fevereiro, completa 84 anos. Lembro-me que o Governo Revolucionário PEDIU LICENÇA à Câmara de Deputados para instaurar um processo contra um de seus integrantes, o que foi negada por um Poder que, mesmo num regime excepcional, tinha mais altivez e independência do que os atuais aleijados morais, que se arrastam para sobreviver. Este é o " estado democrático de direito" e a simples leitura da "constituição cidadã" frente a realidade que vivemos poderá provocar-me um AVC. Vou recortar e colocar numa moldura a notícia do Jornal do Comércio, dia 22, sob o título "Maioria dos gaúchos vota contra prisão de Daniel Silveira" Carlos Edison Domingues

Valdir Pereira -   23/02/2021 10:50:18

Achava que o deputado tinha tudo dentro de uma cartola e iria tirar na hora certa. Parece que não. Fico pensando como irá sair dessa.

Adriano salviano -   23/02/2021 09:10:45

Não é sanatório, é prostíbulo!

Rubens Rodrigues -   22/02/2021 19:10:37

Ao contrario do que pensam os deputados que votaram contra a soltura de Daniel, votaram também as suas próprias prisões, O Ato deixou claro, que outros tantos Daniéis bem mais irresponsáveis que Daniel preso, Hoje tem um Daniel preso, amanhã, Alexandre, o Grande, prenderá muitos outros diante da covardia ora comprovada.

Franklin Oliveira -   22/02/2021 18:14:25

A unanimidade da corte ao condenar o deputado, demonstrou-nos a insignificância dos demais poderes, os quais elegemos a fim da manutenção de nossos direitos, constitucionais, procurando junto ao STF, serem reconhecidos como SOLIDÁRIOS aos seus atos, travestidos de legalidade. O deputado Silveira, já demonstrou-nos sua fragilidade, o qual não cumprirá a efetivação de suas ameaças SANEADORAS ,ampliando ser mais um de rabo preso com a Corte.

Afonso Pires Faria -   22/02/2021 15:11:28

Espero que possamos fazer deste limão uma limonada. Quem sabe se agora, havendo uma jurisprudência, o PR também não a utilize para prender todos os seus detratores. "Ad áspera per astra"

Maurissone Ferreira Guimaraes -   22/02/2021 14:35:01

Vivemos dias inglórios. Não sabemos o que virá a seguir. Que Deus nos proteja!

Habib -   22/02/2021 14:03:38

O Lularápio errou ao dizer que na câmara tinha 300 picaretas, na verdade são 364 bandidos de rabo preso na justiça, que venderam sua alma. Pena que vão mamar ainda mais 2 anos , até que o povo decida enxotá-los de volta a pocilga.

Roseclair -   22/02/2021 13:57:32

Tempos sombrios, não existe luz no fim do túnel. Estamos indo pro fundo do poço! Estou totalmente enojada e sem esperança no futuro de nosso querido país.

RUY BORN -   22/02/2021 11:24:00

Cumprimentos pela clareza e objetividade do artigo.

Nilton -   22/02/2021 10:32:09

O que se viu na sexta feira foi exatamente o que Lula comentou há alguns anos, quando disse que a Camara tinha 300 picaretas. Ele tinha razão, só não esperava que fossem 346. O que nos sobra?

Flavio Soares -   22/02/2021 10:09:04

Como seria bom se os ministros do STF soubessem ler a Constituição Federal.

Lauro Vitor Patzer -   21/02/2021 21:42:49

Concordo plenamente com o texto, os deputados que tinham a chance de colocar rédeas nos ministros, a maioria, ao contrário, aprovou a submissão ao fermento ditatorial desta Corte que está crescendo.

Sérgio -   21/02/2021 20:51:45

Bonito texto, quase tão bonito quanto as palavras de Daniel Silveira, dirigidas ao STF.

Antônio -   21/02/2021 18:00:52

A sociedade brasileira carregará para os tempos futuros este peso de traidores. A sociedade brasileira terá a dignidade que eles não tiveram de expulsar todos estes traidores da pátria nas eleições.

Dagmar -   21/02/2021 10:37:20

Hoje meu sentimento é de derrota, frustração, raiva, desesperança e uma perspectiva muito ruim do que iremos viver daqui para frente. Nunca pensei que fosse tão fácil implantar uma ditadura. Vejo um povo apático, cego e pior, acreditando que vivemos em plena democracia. Na verdade, não consigo expressar com palavras os meus sentimentos.

DAGOBERTO GODOY -   21/02/2021 09:50:12

Cumprimentos e minha solidariedade ao paladino da liberdade e da dignidade humana: Percival Puggina.

Júlio Cezar Lage -   21/02/2021 07:58:28

Como brasileiro que sou assiste com verdadeiro nojo por esses parlamentares covardes cair de joelhos pra uma quadrilha denominada STF

José Plínio Dewes -   20/02/2021 23:26:51

Foi vergonhoso o que fizeram, ainda bem que o meu deputado Marcel nunca me decepciona! Abraço mestre Puggina e parabéns pela sua coerência!

GUSTAVO AUGUSTO DRUZIKI -   20/02/2021 20:12:51

A população precisa ir as ruas, em massa, tomar cada espaço público e exigir o expurgo deste STF. Precisa !

Menelau Santos -   20/02/2021 18:18:08

Um dos melhores textos do Professor Puggina relatando um dos piores episódios do nosso parlamento. A esperança depositada no novo presidente da Câmara -- Arthur Lira -- se esvaiu rapidamente. Fiquei indagando aos meus botões, será que Rodrigo Maia, por pior que fosse, não teria tido nesse caso uma condução mais decente?

Flavio -   20/02/2021 17:54:10

Jah dizia a canção dos Paralamas: “Luis Inácio falou, Luis Inácio avisou, são trezentos picaretas c anel de doutor”???? E parece q irão continuar assim...

Ademir Felipe -   20/02/2021 17:14:22

Sensacional. Deputados atemorizados e acovardados. Cada vez mais seu fã.

Celso Ladislau Kassick -   20/02/2021 16:53:16

DITADURA CRUEL DO JUDICIARIO?

Luiz Antônio Marty -   20/02/2021 15:26:46

Excelente artigo. Percepção perfeita, da covardia e acadelamento do Congresso. O desvirtuamento do STF é monstruoso e ressalta o despreparo e desprezo jurídico. Difícil dizer qual das instituições é a mais imoral.

Sandra Dihl Aranha -   20/02/2021 15:17:50

Ainda estou de ressaca. Pelo teor das falas, posso dizer que nenhum, com raras exceções, merece estar lá. Ou são crápulas, ou analfabetos funcionais. Triste, muito triste.

Elvio Rabenschlag -   20/02/2021 14:19:19

Caro jornalista. O senhor conseguiu expressar exatamente o que eu e uma grande maioria os brasileiros sentem, tenho certeza. Estou enojado com a covardia senão, com cumplicidade da Câmara.

Sérgio Luiz Lorenz -   20/02/2021 13:28:40

Concordo plenamente com o Senhor, foi uma afronta ao povo trabalhador e uma benção para os ladrões!

Rosa Maria Santos dos Santos -   20/02/2021 11:59:15

Só posso comentar diante de tão claras observações, que a minha indignação e decepção com os deputados federais é tão imensa quanto a sua.Do supremo já sabemos da arrogância com que nos impõe suas normas ditatoriais,mas nos deputados federais ainda achava que existia um minimo de senso de justiça, mas ledo engano,falou mais alto a narrativa vazia da ideologia política, no lugar da lei!Pobre República dos bananas!

Manoel Luiz Candemil -   20/02/2021 11:39:00

A eleição vem se apresentando como uma farsa. O eleitor elege políticos, mas estes devem obedecer às decisões dos Partidos Políticos. Certamente, muitos políticos eleitos ficam impedidos de votar no sentido por eles efetivamente pretendido. Então, temos pessoas não eleitas comandando o pensamento dos eleitos. Isso não acontece apenas no Brasil, mas em qualquer outro País.