• Percival Puggina
  • 24/03/2021
  • Compartilhe:

VENENO EM PALAVRAS E IMAGENS

 

Percival Puggina

 

De repente me veio à lembrança o “Realejo” de Chico Buarque. Diz assim:

“Estou vendendo um realejo.

Quem vai levar? Quem vai levar? Quem vai levar?

Já vendi tanta alegra, vendi sonhos a varejo.

Ninguém mais quer hoje em dia acreditar no realejo (...)”.

Não dá para acreditar, mesmo, mas o realejo continua rodando a manivela, apesar do descrédito, vendendo sonhos, narrativas, utopias, mentiras e mistificações.

Os tocadores de nossos realejos quotidianos desenvolveram uma semântica astuciosa em que adjetivos como negacionistas, genocidas, fascistas, terraplanistas são usados para significados aquém e além daquele para o que existem e nunca com o intuito de serem entendidos no sentido para o qual foram criados. Delírios de linguística orwelliana. Veneno em poção verbal e visual. O mercado de veneno atrai ilustrados e apedeutas.

Recriou um “antifascismo”, sempre pronto a causar dano a algo que outros fizeram para destruir a divergência que merecem. Contudo, visto de perto, não passa do velho fascismo com estrela vermelha. Como sempre foi, aliás, desde antes do fim da Segunda Guerra Mundial.

Esse realejo que hoje toca no Brasil o dia inteiro tem como público cativo o cidadão do sofá, anatomicamente formado por corpo, membros e sei lá mais o quê. Pode haver certa má vontade minha, mas sempre achei mais fácil acreditar em Terra plana do que acreditar na Globo, por exemplo. Ademais, querer convencer pela repetição, como vem acontecendo no Brasil, desrespeita o público. É assim no adestramento, usado por humanos com animais. E nunca ao contrário. Pelo amor de Deus, nunca ao contrário!

O fato é que se por um lado isso está acontecendo, por outro nunca foi tão fácil saber em que banda toca a sujeito que fala. A linguagem impõe-se sobre as dissimulações e funciona como impressão digital da tendência política.

 

Percival Puggina (76), membro da Academia Rio-Grandense de Letras e Cidadão de Porto Alegre, é arquiteto, empresário, escritor e titular do site Conservadores e Liberais (Puggina.org); colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A Tomada do Brasil pelos maus brasileiros. Membro da ADCE. Integrante do grupo Pensar+.

 

        

        

          

        


LUIZ GONZAGA MELO FARIAS -   29/03/2021 10:57:10

O que deixa o povo boquiaberto é saber que todo trabalho realizado pela lavajato foi jogado no lixo. E aí eu pergunto: As outras instâncias que condenaram o Lula, será que agiram também de forma parcial? não acredito e estranho êles estarem até agora calados e não se manifestarem diante de tantos ataques à Moro e aos procuradores. O que lula fez de errado está feito e não o inocenta, independente do fórum de Coritiba/PR.

Elvio Rabenschlag -   27/03/2021 11:35:04

Parabéns jornalista. Essa é a técnica que tem sido usada há muito tempo pela esquerda, lavagem cerebral pela repetição. Não importa quão idiota seja mas repita, repita, repita até a exaustão. E os que costumam sentar no sofá para "ver televisão" são os depositários fiéis das idiotices repetidas. O resultado é o que se vê na argumentação (?) diuturna.

Gustavo Monteiro -   25/03/2021 09:30:39

Infelizmente a coisa funciona. Meu primo e minha cunhada pegaram Covid. Falei para eles se tratarem com Hidroxicloroquina e ivermectina. Orientei para que procurassem um médico que prescrevesse esses fármacos. Eles repetiram quase que mecanicamente a balela de que "não possuem eficácia comprovada" e "são tóxicos" e "podem causar dano hepático". Tive de descarregar um caminhão de publicações científicas internacionais que tratam da eficácia da HCQ e ivermectina, além de dados estatísticos comparando a quantidade de mortes por milhão entre Índia (que desde março de 2020 adota a HCQ como medicação padrão no combate a covid), USA, Reino Unido, França e Alemanha. Adivinha qual desses países tem a menor taxa de mortes por milhão por covid?

FERNANDO A O PRIETO -   25/03/2021 05:53:02

Infelizmente parece (tomara que eu esteja errado!) que o velho truque de repetir mentiras muitas vezes, sob muitas formas, funciona no mundo moderno.... Além de rezar para que Deus nos ilumine, a única defesa é ler textos lúcidos como o seu, mas são cada vez mais raros! Deus o abençoe.

Menelau Santos -   24/03/2021 15:34:46

O Professor Puggina sempre respondendo às perguntas que fazemos à nós mesmos no dia a dia. Tenho algumas pessoas do meu relacionamento, as quais acreditam nas esquerdas, acreditam na eficácia do lockdown, acreditam que a culpa por todas as consequencias do virus é do Presidente e não acreditam no tratamento precoce. Só conseguem ouvir o realejo.

Carlos Edison Fernandes Domingues -   24/03/2021 09:38:23

PUGGINA ! Nunca imaginei um retrocesso sócio-político, tal como este que estamos atravessando. Pior é que na ordem da descrença destaca-se o Judiciário. Não pudemos abandonar a nossa disposição de lutar. Carlos Edison Domingues