• Percival Puggina
  • 10/10/2021
  • Compartilhe:

“O QUE VOCÊS TÊM AÍ?”

 

Percival Puggina

 

         Telefonei para um querido e velho amigo, jurista dos bons. A essas credenciais, ele soma invejável talento para analisar política. Eu queria ouvi-lo, depois de ano e meio sem conversarmos. Impressionou-me vivamente o que falou, autorizando-me a reproduzir, como farei abaixo, sintetizando hora e meia de sua dissertação.

***

Na opinião do meu amigo, o 7 de setembro não foi convocado para que algo acontecesse em favor do presidente da República, mas para conter iniciativas que o ameaçavam. Com base instável na Câmara dos Deputados e tendo contra si a maioria do Senado, o STF e os grandes grupos de comunicação, o presidente precisava conter inimigos que avolumavam suas ações desde o início do mandato, buscando impedi-lo de disputar (à facada), assumir (ações no TSE), governar (boicotes políticos, judiciais e administrativos) e terminar o mandato (impeachment).

No início de agosto, no auge da pressão, o presidente reagiu jogando toda sua força política na convocação do povo para as  manifestações nacionais do dia 7 de setembro. Prometeu comparecer, falar e ouvir a população. Jogou pesado na atração de seus apoiadores.

Entenda-se a estratégia. É sabido que não há impeachment sem multidão na rua e o presidente mostrou suas cartas. Ah, jogavam pôquer? Pois as dele ficariam abertas sobre a mesa. Foi como se dissesse: “O que vocês têm aí?”. Pagou para ver.

Ergueram-se contra o evento do dia da Independência todos os grandes meios de comunicação, gastando tempo em esforços para desmobilizar a população. Apelaram para o terrorismo. Prenunciaram violência, ações contra a democracia e riscos graves, buscando criar um ambiente psicológico de medo e rejeição. Mulheres e crianças eram insistentemente aconselhadas a não comparecer. Gente poderia morrer!

Impossível estimar o número de pessoas que, em virtude disso, deixaram de comparecer. Mesmo assim, milhões de brasileiros foram às ruas sem que um vidro sequer fosse quebrado, sem que um carro fosse arranhado, com as autoridades policiais sendo aplaudidas e com preces sendo dirigidas a Deus. À vista de todos, a mentira circulou de pernas curtas e de muletas. Muitas estratégias oposicionistas entraram em colapso naquele dia.

Derrotada no dia 7, a mídia amiga da oposição assumiu a publicidade da manifestação pelo impeachment agendada para o dia 4 de outubro. Como nunca se viu antes, fez eco às convocações, listando cidades e locais. Se participar do apoio ao presidente fora um perigo, ir às ruas pelo impeachment seria algo sereno, tranquilo como um entardecer na lagoa.

Só o fracasso foi clamoroso.  Tão clamoroso que teve que ser admitido. O impeachment morreu ali. Junto com ele, perderam força quaisquer ações oposicionistas que precisem de apoio popular, ou tragam para a rua, novamente, as cartas perdedoras exibidas no dia 4. "O que vocês têm aí?”. É assim na democracia, não?

É apenas uma análise, mas dela se pode dizer, como Giordano Bruno: “Se non è vero, è molto ben trovato” (se não é verdade, é muito bem achado).

Percival Puggina (76), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A Tomada do Brasil. Integrante do grupo Pensar+.

 

 

 


Juan Albornoz -   12/10/2021 00:23:39

O jogo é pesado, bruto e desigual; a oposição usa as armas luciferinas: esconde, engana, seduz, compra e paga. O PR não pode dar um passo em falso, nem confiar sem verificar. Não precisa derrotar ninguém, basta chegar à eleição inteiro e de olhos bem abertos nas urnas e na contagem dos votos. Para perder, a fraude teria que ser gigantesca.

Décio Antônio Damin -   11/10/2021 15:18:50

Essa linha de pensamento é construída pelos "bolsonaristas raiz", que foram os que apareceram no dia 7 de Setembro...!Na outra manifestação, contra ele, apareceram os esquerdistas raiz...! Os que são independentes de ambas as correntes políticas não prestigiaram nem uma nem outra, e ficaram em casa observando o rumo que as coisas estão tomando em nosso país! Acho que o sectarismo só faz nos dividir, e deveria ser proscrito. O alforje que carregamos tem uma bolsa à frente, com os defeitos dos outros, e uma atrás, com os nossos!

Maria Carvalho -   11/10/2021 11:21:52

Excelente! Foi difícil entender logo no dia seguinte ...mas o desenrolar dos fatos após o 7 de setembro falou a favor do presidente. Mesmo assim, o caminho é árduo. Como se pode notar o Mecanismo Maléfico montado está se debatendo, se asfixiando. É preciso mão forte e espírito altruísta para levar a cabo a tarefa de sufocar a corrupção sistêmica enraizada nas instituições. Sem dúvida esse é o melhor presidente que o Brasil já teve. A história nos contará.

elcio emilio affonso -   11/10/2021 10:04:07

Parece que o jurista não leu a carta que o Temer e o Alexandre de Morais escreveram e o Bolsonaro assinou . Chamada carta ao Brasil , ele renunciou ali. Já era.

Gerson Monteiro -   11/10/2021 08:07:45

Agora, já não buscam o "Impeachment"... querem é barrar a REELEIÇÃO de JB... os brasileiros patriotas e de bem têm que sair das poltronas e lutar... irão fazer "O DIABO" pra impedir um novo mandato de Bolsonaro... ????

JAMES WILLIAM BUTLER -   10/10/2021 20:07:43

Análise perfeita.

Wagner Mendes -   10/10/2021 18:48:44

Excelente comentário, bom mesmo.

Franklin -   10/10/2021 18:43:44

Perfeita análise da realidade. Exatamente assim como observamos esse momento ímpar na vida da nação, onde um parcela exponencial vai às ruas para apoiar o presidente mais comprometido com os valores da família brasileira. Resta a torcida para sua vitória no primeiro turno nas próximas eleições.

Marcia Polto -   10/10/2021 17:56:53

A mídia mente muito. Chamaram de “ manifestações anti democráticas “. Patético !!!

Nara Regina Spada -   10/10/2021 17:10:19

Excelente!

Jacqueline -   10/10/2021 16:06:13

Se com a pandemia o Presidente contra tudo e contra todos consegui avança, imagina se deixam ele trabalhar????

José Augusto -   10/10/2021 15:49:11

Mente pensante... entre pérola suína o melhor caminho seria sempre um silêncio pobre ? Ante a um grito emudecido de desânimo ...uma silhueta se faz notar num horizonte sombrio unir se para juntos padecer??

Angela Maria Oliveira Mello -   10/10/2021 15:47:06

Excelente análise!

Manoel Pontes Magalhães -   10/10/2021 14:09:36

Bolsonaro reeleito.

Dalgita -   10/10/2021 12:15:31

Um belo retrato da realidade.

Heloisa Helena Kruse Grün -   10/10/2021 11:41:11

Na pleura ?????????????????????????????????

Sérgio delgado -   10/10/2021 11:22:55

É uma boa análise.

Nelson Mouriz -   10/10/2021 10:54:16

Há que se concordar e observar. Quanto a Giordano; è vero e trovato.

Vicente Lemos -   10/10/2021 10:43:32

Muito bom seu comentário hoje mestre.

OS CAÇA-FANTASMAS